5 mentiras sobre segurança em dispositivos móveis

5 mentiras sobre segurança em dispositivos móveis

A popularização dos telefone celulares no Brasil iniciou ainda na década de 90 e, de lá para cá, não parou mais! É o que comprova a Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo.

Segundo o estudo, o número de smartphones no país chegou a 168 milhões em maio deste ano. Um crescimento de 9% em relação a 2015, quando o total era de 152 milhões de aparelhos.

As estatísticas também têm chamado a atenção de criminosos virtuais, que se aproveitam de informações e dados desprotegidos pelos usuários todos os dias. Isso acontece principalmente porque muitos acabam não levando a sério o quesito segurança em smartphones.

Para te ajudar a entender melhor o assunto e evitar riscos por falta de informação, selecionamos 5 mentiras sobre segurança em dispositivos móveis. Confira!

1. Smartphone não precisa de antivírus

Acredite: esse é um dos principais boatos entre os usuários de telefones celulares. Não é porque o aparelho está sempre com você que a instalação de um antivírus não é necessária.

Lembre-se de que você pode enfrentar os mesmos problemas que um computador desprotegido oferece. Por isso, é importante contar, no mínimo, com um bom antivírus.

2. Ataques de phishing não ocorrem em celulares

Se você utiliza o internet banking e realiza transações financeiras em seu smartphone com a sensação de que está mais “protegido”, sentimos informar: ataques de phishing – fraude que rouba dados pessoais e financeiros de internautas – também acontecem em celulares.

Os golpistas agem através de aplicativos, textos e endereços divulgados em redes sociais, publicando links maliciosos, dificilmente identificados pelos internautas

3. Aplicativos de marcas reconhecidas não oferecem riscos

A audácia dos criminosos digitais é tanta que muitos desenvolvem aplicativos, aparentemente inofensivos, para distribuir em lojas de confiança e enganar os usuários.
De acordo com o McAfee Labs, mais de 80% dos apps desenvolvidos para Android rastreiam e reconhecem informações pessoais, sendo um dos principais meios de download de malware, tanto em smartphones como em tablets.

4. O código PIN protege meus apps iniciados automaticamente

A facilidade de acessar o Facebook, Instagram ou Twitter sem precisar digitar nome de usuário e senha toda vez é grande, mas os perigos também. Muitos acreditam que em função do código PIN, é seguro ter aplicativos que iniciam sessões automaticamente, só que isso não é verdade.

O código PIN é uma proteção incompleta que pode ser facilmente reconhecida e rastreada por hackers, principalmente quando os usuários utilizam senhas como 1234 ou 2222. Portanto, além de um bom código PIN, evite que os apps sejam executados automaticamente em seu aparelho.

5. SMS são totalmente seguros

Esse é outro grande engano, já que mensagens de texto ou SMS não oferecem nenhum tipo de proteção. Lembre que não é porque não necessitam de internet para funcionar que seus SMS estão livres de ataques hackers, por exemplo.

Portanto, evite enviar informações pessoais, importantes e confidenciais através desse serviço.

Confira também: Passo a passo para deixar sua rede de internet mais segura.

5 mentiras sobre segurança em dispositivos móveis

P4 Telecom

Post feito com por P4 Telecom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *